Previsões Mentirosas

1 Comentário

Vigarice das Previsões

Há pessoas que vivem da crendice popular e sabem, com habilidade, explorar a boa fé dos incautos e deslumbrados.

Uma dessas pessoas é a senhora Amira Lepore, que se diz vidente, às vezes espírita, sensitiva e outros apelidos que nada têm a ver com aquilo que ela faz. Mora nos Estados Unidos onde engana todo mundo. É por lá uma celebridade!

Em dezembro de 2007, no Jornal Correio da Paraíba, entre outros, falou que o presidente Lula renunciaria, sofreria atentado  ou acidente de avião.

Até agora NADA!

Estamos em dezembro de 2009 e ela volta agora com a mesma conversa publicada novamente no Jornal Correio da Paraíba do dia 20, quando diz: Lula sofrerá infarto, atentado ou acidente aéreo, antes do carnaval.

Se ela repetir isso nos próximos dez anos, deverá acertar…

Quanto ao futebol, diz que o Brasil não chegará lá e que estarão muito bem Espanha, Portugal, Costa do Marfim e África do Sul. África do Sul terá de eliminar dois destes três adversários: França, México e Uruguai, para avançar à segunda fase. Será que vai dar?

Para que Portugal e Costa do Marfim sigam na disputa é preciso que o Brasil perca logo na fase inicial. Embora possível, porque o jogo é jogado e a bola é redonda, será que isso acontecerá?

Finalmente, para agradar a grande galera, diz que o Corinthians vai ganhar a Libertadores. Corajosa a mulher!

O grande médium Chico Xavier, que anunciou antecipadamente, apenas para os Amigos a sua morte, disse que sairia da vida no dia que todo o povo brasileiro estivesse em festa. Despediu-se no dia 30 de junho de 2002 quando o Brasil ganhou o pentacampeonato. Acertou as contas com sua empregada três dias antes, agradeceu-lhe, e disse que não precisaria mais dos seus trabalhos. Nem por isso saiu por aí dizendo-se vidente. Jamais fez previsões de fim de ano, apesar de sempre convidado a fazê-lo.

Sempre soube muita coisa, porque convivia com os espíritos com a naturalidade que vivemos com nossos parentes e conhecidos, mas nunca fez declarações terroristas, próprias de espíritos atrasados como Dona Amira Lepore, que deveria arranjar outro jeito de ganhar dinheiro, se é que ela conhece.

Pobre ignorância humana que agasalha esse tipo de conversa e ainda a chamam de espírita.

Ser espírita não é ser médium, se é que ela o é. Ser espírita é ser cristão e não fazer declarações negativas quando nada pode fazer para reverter o quadro, ainda mesmo que fosse verdadeiro.

Espíritas. Estudem o Evangelho de Jesus e a Doutrina Espírita por meio dos livros da codificação. Quem estuda não escuta tipos como Amira Lepore que está mais para charlatã que para espiritualista.

Fazemos este alerta porque nosso povo é muito deslumbrado e se deixa influenciar por tolices ditas por qualquer esperto. Cuidado com dona Amira porque ela é chutadora, embora, pelas previsões da Copa do Mundo, demonstre que não entende nada de futebol.

Até mais!

Clique no link Parnaso do Caumo ao lado para conhecer a história toda.

Anúncios

Caos momentâneo

Deixe um comentário

Orson Peter Carrara – Matão-SP

O Espírito Erasto, na mensagem Os conflitos, cita palavras do Espírito São Luiz, um dos responsáveis pela Codificação Espírita, referindo-se a uma verdadeira Torre de Babel no que diz respeito aos prejuízos do orgulho e da exaltação do amor-próprio nos médiuns. Citando espíritos pseudo-sábios, falsos grandes homens, falsos religiosos e falsos irmãos da erraticidade, em meio a essa multidão de médiuns por eles fanatizados, aos quais ditam teses mentirosas e perigosas, na construção de autênticos andaimes erigidos pela ambição e a inveja, solicita aos espíritas sinceros que não se amedrontem com o caos momentâneo.
 Embora a mensagem seja de 1863, verifica-se sua atualidade nas lutas do movimento espírita diante de tantas insinuações, tentativas de novidades dispensáveis e disputas próprias da exaltação do orgulho ou do amor-próprio ainda vigentes em nossa condição humana.
 Por isso, indica o nobre Erasto:

“(…) Assim, pois, meus amigos, tendes que vos defender, não só contra os ataques e calúnias dos adversários vivos, mas, também, contras as manobras, ainda mais perigosas, dos adversários da erraticidade. Fortificai-vos, pois, em estudos sadios e, sobretudo, pela prática do amor e da caridade, e retemperai-vos na prece. Deus sempre ilumina os que se consagram à propagação da verdade, quando estão de boa fé e desprovidos de toda ambição pessoal. (…)”.
 Pela grandeza da mensagem que ora estamos nos referindo, elaboramos também outra abordagem com o título “Que vos importam os médiuns?”, que o leitor encontrará fácil pela internet, de vez que ambas foram elaboradas e liberadas simultaneamente para divulgação. Optamos por duas abordagens ao invés de uma matéria mais longa. Naquela abordagem, baseada na pergunta do próprio Erasto, ele mesmo nos dá a óbvia resposta: os médiuns não passam de instrumentos.
 Por isso, nomes pomposos ou famosos nada significam. Como indica o espírito “(…) O que deveis considerar é o valor, é o alcance dos ensinamentos que vos são dados; é a pureza da moral que vos é ensinada; é a clareza, é a precisão das verdades que vos são reveladas; é, enfim, ver se as instruções que vos dão correspondem às legítimas aspirações das almas de escol e se são conformes às leis gerais e imutáveis da lógica e da harmonia universal. (…)”.

 Uma vez mais, a precisa orientação de não nos impressionarmos pelos nomes que assinam as psicografias. O que vale e deve ser analisado é o conteúdo antes que o entusiasmo fácil nos encante pelo nome assinado. Por isso continua Erasto:
 “(…) Os Espíritos imperfeitos, que representam um papel de apóstolo junto a seus obsedados, bem sabeis, não têm o menor escrúpulo em enfeitar-se com os mais venerados nomes (…); Assim, repetirei incessantemente o que dizia a meu médium, há dois anos: “Jamais julgueis uma comunicação mediúnica pelo nome que a assina, mas apenas por seu conteúdo intrínseco”(…)”.

E a advertência vital: “(…) É urgente que vos ponhais em guarda contra todas publicações de origem suspeita, que parecem, ou vão parecer contrárias a todas as que não tivessem uma atitude franca e clara, e tende por certo que muitas são elaboradas nos campos inimigos do mundo visível ou invisível, visando a lançar entre vós os fachos da discórdia (…)”. Afinal, “(…) tende igualmente como certo que todo Espírito que a si mesmo se anuncia como um ser superior e, sobretudo, como de uma infalibilidade a toda a prova, ao contrário, é o oposto do que se anuncia tão pomposamente. (…)”.


 Valiosas considerações, não é mesmo, leitores?
 Estamos convidados ao uso do raciocínio, do bom senso, da lógica, mas também da bondade. Não estamos convidados à crueldade da discriminação, mas à lucidez da orientação correta e coerente com o que ensina o Espiritismo. Melhor a firmeza do conhecimento do que a ingenuidade da distorção…
 

Constante do livro A Obsessão, páginas 209 a 215 da  6ª. edição da Editora O Clarim.

 

Saber como convém saber

Deixe um comentário

“E se alguém cuida saber alguma coisa, ainda não sabe como convém saber”. – Paulo. (I CORÍNTIOS, 8:2.).

A civilização sempre cuida saber excessivamente, mas, em tempo algum, soube como convém saber.
É por isto que, ainda agora, o avião bombardeia, o rádio transmite a mentira e a morte, e o combustível alimenta maquinaria de agressão.
Assim também, na esfera individual, o homem apenas cogita saber, esquecendo que é indispensável saber como convém.
Em nossas atividades evangélicas, toda a atenção é necessária ao êxito na tarefa que nos foi cometida.
Aprendizes do Evangelho existem que pretendem guardar toda a revelação do Céu, para impô-la aos vizinhos; que se presumem de posse da humildade, para tiranizarem os outros; que se declaram pacientes, irritando a quem os ouve; que se afirmam crentes, confundindo a fé alheia; que exibem títulos de benemerência, olvidando comezinhas obrigações domésticas.
Esses amigos, principalmente, são daqueles que cuidam saber sem saberem de fato.
Os que conhecem espiritualmente as situações ajudam sem ofender, melhoram sem ferir, esclarecem sem perturbar. Sabem como convém saber e aprenderam a ser úteis. Usam o silêncio e a palavra, localizam o bem e o mal, identificam a sombra e a luz e distribuem com todos os dons do Cristo. Informam-se quanto à Fonte da Eterna Sabedoria e ligam-se a ela como lâmpadas perfeitas ao centro da força. Fracassos e triunfos, no plano das formas temporárias, não lhes modificam as energias. Esses sabem porque sabem e utilizam os próprios conhecimentos como convém saber.

Fonte: Livro Vinha de Luz – Espírito Emmanuel
Psicografia: Francisco Cândido Xavier