Octávio Caúmo Serrano

“Se os espíritas soubessem o que é o Centro Espírita, quais são, realmente, a sua função e sua significação, o Espiritismo seria hoje o mais importante movimento cultural e espiritual da Terra”. (J. Herculano Pires – 25/09/1914 – 9/3/1979)  

Em 25 de setembro de 2014, comemorou-se o centenário de nascimento do lúcido jornalista Herculano Pires que se destacou também como um dos mais ativos divulgadores do Espiritismo no país. Traduziu os escritos de Allan Kardec e escreveu tanto estudos filosóficos quanto obras literárias inspiradas na Doutrina Espírita. É dele a frase acima que hoje propomos como meditação. 

Ainda não nos demos conta, nem mesmo o espírita convicto, que um centro equilibrado que não se afaste um milímetro dos postulados deixados por Kardec assemelha-se ao mais completo e mais bem equipado hospital da Terra. Ali, sem que percebamos ou vejamos, pelo menos os que têm visão comum, está disponível todo o equipamento espiritual necessário para curar tanto as doenças da terra, que se apresentam no corpo, como as doenças da alma que não são diagnosticadas pela aparelhagem médica.

Quando pomos os pés na Casa Espírita, somos recepcionados pela espiritualidade que começa a cuidar de nós sem que saibamos ou peçamos, sendo suficiente que ali estejamos com respeito e fé, além de ser levados em conta nossa intenção, merecimento e necessidades evolutivas. Entramos com doenças que nem imaginávamos que tínhamos e de lá saímos curados, se for o melhor para nós e se já chegou a nossa hora. Mais ou menos como afirmava Jesus: “ A tua fé te curou. Vai e não peques mais.” 

Lamentavelmente, o que vemos são pessoas de corpo presente, mas que não estão ali em espírito. Não chegam com qualquer mérito para receber ajuda. É comum os que assistem às palestras com o celular e similares ao lado. Respondendo aos WhatsApps, lendo ou enviando torpedos, conferindo chamadas, quando não aproveitam para navegar na internet ou jogar esses joguinhos tolos que infestam esses aparelhos sequestradores da nossa vontade e do nosso equilíbrio. Foram inventados para facilitar a nossa vida, mas hoje mandam nas pessoas. Eles não têm culpa. Os equivocados somos nós!

É comum, nos dias de palestra pública, como os centros trabalham de porta aberta, muitas pessoas chegarem quase no final, desde que estejam ali a tempo de receber o passe. Acreditam que aquele passe possa fazer alguma coisa por elas que não têm o mínimo interessa pela sua própria vida. Não cogitam de sua modificação, deixando por conta dos espíritos transfundir-lhes, além da energia fluídica, discernimento e inteligência. Pobres iludidos, que acreditam que ali receberam algo. Não respeitam o mínimo, assiduidade e pontualidade, como querem receber? Jesus ensinou também sobre isso: “Faz que o Céu te ajuda!”

O Centro Espírita é uma faculdade que ensina a Ciência do Infinito, conforme definição de Allan Kardec! É lugar de respeito, onde devemos ter pensamentos elevados, concentrar-nos apenas nos assuntos tratados ali, sejamos colaboradores ou assistidos. É local para intensiva meditação sobre a vida eterna com base nas lições organizadas por Kardec e complementadas por outros espíritos superiores que nunca nos abandonam. Não nos esqueçamos da ajuda de Emmanuel, André Luiz, Joana de Ângelis, Manoel Philomeno de Miranda, Bezerra de Menezes, Marco Prisco e uma vasta coleção que não caberia neste espaço. Os beneméritos são incontáveis, mas os que desejam modificar-se enquanto encarnados ainda são poucos.  

Para ser ajudados, não devemos misturá-los com nossa vida familiar, afetiva ou profissional, nem afastar-nos mentalmente dos objetivos do breve momento. Esperamos pelas flores dos milagres sem termos semeado o mérito para recebê-las!

Somos agradecidos, também, ao estimado José Herculano Pires que esteve conosco por menos de sessenta e cinco anos, repetindo o tempo de vida de Kardec, mas deixando-nos igualmente um manancial de lúcidas informações que, se bem aproveitadas, poderão ajudar-nos a compreender melhor este nosso momento planetário. 

Vejam algumas coincidências entre Kardec e Herculano: Kardec nasceu em 1804 e Herculano em 1914; 110 anos depois. Kardec em 3/10 e Herculano em 25/9. Para os astrólogos, o mesmo signo. Kardec desencarnou em 31/03/1869 e Herculano em 9/3/1979. No mesmo mês, 110 anos depois. Ambos viveram aproximadamente 64 anos e meio. Como dissemos, são simples coincidências; mas ambos com a mesma coerência nas ideias e no bom senso. Os dois devem ser lidos e estudados porque têm muito a nos ensinar!  

Estejam com Deus!

Correio Fraterno do ABC – Janeiro de 2015