Octávio Caúmo Serrano   caumo@caumo.com

Com a morte de minha esposa, há três anos assumi o comando do Centro Kardecista “Os Essênios”, de Manaíra, João Pessoa, fundado em 1997; sessenta dias após chegarmos a esta cidade. O nome é homenagem ao povo que vivia junto ao Mar Morto, onde estão as ruínas do Qumran, local do achado em 1947 dos Manuscritos com hábitos dessa comunidade, semelhantes aos cristãos. Anteriores ao Cristo, viveram entre 140 a.C e 70 d.C. Segundo historiadores como Martin Larson, Robert Eisemann, John M. Allegro e tantos outros, a história do cristianismo é na realidade a história dos essênios. Viviam para servir. Diziam que só deveríamos temer uma guerra: A dos filhos das trevas contra os filhos da luz, travada no coração do homem. Ninguém nos faz mal a não ser nós mesmos. Não somos felizes porque nos perdemos por valores supérfluos e provisórios.

Ensinavam que o homem deve sonhar dentro da sua capacidade e necessidade, para que consiga sempre realizar o sonho. Quem tem ambições inatingíveis morre perseguindo o que jamais conseguirá obter. O verdadeiro rico não é quem tem muito, mas quem precisa de pouco. Lembro-me de um grego famoso, Diógenes, que fez voto de pobreza e só usava um manto, uma lamparina, um tonel onde dormia e uma caneca amarrada à cintura. As ver um menino beber água num riacho fazendo uma concha com as mãos jogou fora a caneca e disse: “Quanta coisa supérflua ainda trago comigo!”

Vemos entre nós quem possui centenas de roupas e sapatos, esquecendo-se que tem apenas um corpo e dois pés. Tem o que daria para vestir dezenas de pessoas ou o que lhes bastaria por muitas encarnações. Não pode ir a uma festa repetindo o traje da anterior, mas pode ir a todas as festas repetindo a mesma vaidade, a mesma ignorância e o mesmo complexo de superioridade; a mesma mediocridade e ilusão sobre si mesmo porque não se conhece. Há quem valorize a embalagem mais do que o produto. Rico é quem é simples. Libertemo-nos do inútil e seremos mais felizes! Jesus, Gandhi, Madre Teresa e Chico Xavier, são alguns que demonstraram isso na prática!

Jornalista e poeta

Jornal Correio da Paraíba – 7/10/2015