Octavio Caumo Serrano

Já há algum tempo acentuaram-se as manias de colocar piercing e de tatuar partes do corpo com nomes, símbolos ou desenhos. Independente dos seus significados místicos ou espirituais, simbologias ou o que quer que se pretenda com isso, gostaria de analisar esta prática à luz da doutrina espírita.

Sabiam que Luiz Sérgio, autor espiritual de mais de trinta livros, que abordou sobre aborto, sobre drogas e outros assuntos delicados, também se manifestou em relação aos piercings e às tatuagens.

Simples pesquisa – “Luis Sérgio e as tatuagens” – nos brindou com o trecho abaixo.  Vamos ao diálogo:

Aqui é o Vale dos Tatuados?  Foi perguntado.
-Sim, aqui é o vale deles.
-Jessé, mas existe tatuado boa gente. Mesmo assim ele vem para cá?
-Não. Aqui se encontram os comprometidos. Porém, todos aqueles que estragaram sua roupa perispiritual terão de pagar ceitil por ceitil. -Como assim? Pode explicar?
-O perispírito é a veste do Espírito e o corpo de carne é a veste do perispírito, quando o homem está encarnado. Se agredirmos o corpo físico, o perispírito é agredido. Olhe aquele grupo ali: seus componentes tatuaram todo o corpo; corpo e perispírito foram agredidos.
-E por que eles vieram parar aqui, Jessé?
-Eles se agrupam, fugindo das criaturas normais. Querem chocar a sociedade.
Das tatuagens daquelas estranhas figuras saía uma fumaça escura, que muito os incomodava.”

Para os espíritas isso é fácil de ser entendido. Mesmo as doenças comuns, que geram lesões físicas, deixam marcas no períspirito que é a matriz usada na encarnação seguinte. Isso se dá com o alcoólatra que pode ter lesado o fígado físico espiritual, o fumante, que lesa pulmões, brônquios, etc., físicos e espirituais, com o assassino, que atrofia mãos e braços espirituais provocando lesões que virão com ele em vidas futuras, por que duvidar que com piercing e tatuagens ocorra o mesmo?

É comum nascermos com cicatrizes inexplicáveis, resultantes de ferimentos em vidas anteriores. No meu caso pessoal, para dar um exemplo, tenho uma cicatriz no fundo do olho esquerdo, só visível por aparelhagem, sendo que não tive lesões nesta vida. Já apareceu há mais de 40 anos e em exame recente lá está do mesmo jeito. Não há explicação a não ser por lesão perispiritual trazida de outras vidas.

O corpo físico é o templo sagrado onde mora o espírito nesta nova fase e deve ser tratado com o maior respeito. Atualmente a cada dia é mais usada a medicina preventiva como os check-ups, as mamografias, exames de próstata e de todas as outras áreas e parte do corpo. Desenvolveram-se  aparelhagens sofisticadas como as ultrassonografias, as ressonâncias e tantas outras.  Se nós devemos dar ao corpo físico todo o cuidado para mantê-lo saudável, não há sentido em flagela-lo com furos e rasgos desnecessários sob o pretexto de destacar-se em aparência ao acompanhar um modismo irracional.

A beleza das pessoas não está nos desenhos de sua pele. Há cobras muito mais bonitas. Se desejarmos homenagear marido, esposa, filho, namorada ou ídolos, tenhamos com eles uma convivência de harmonia sem necessidade de exibicionismo.

Dia destes assisti a um jogo internacional de voleibol feminino entre um clube brasileiro e um russo. As brasileiras cheias de desenhos e nomes e as russas, todas de pele muito clara sem um único sinal. Fiquei me perguntando o porquê dessa diferença de hábitos.

Este alerta é para que as pessoas tenham noção do que estão se fazendo e que se continuarem sujeitam-se a consequências. Quem der risada desta advertência, paciência. Na verdade é problema que diz respeito a cada um porque o livre arbítrio é sempre soberano.

Jornal O Clarim – julho de 2017

 

 

 

 

 

 

Anúncios